Guia Orlando para brasileiros

Por: CEAO /

Viajar para o exterior pode ser bastante confuso e causar muitas dúvidas. Mas isso não vai ser mais problema. A Central Eu Amo Orlando preparou para você um guia Orlando para brasileiros. Descubra tudo o que você precisa saber antes de desembarcar em Orlando e também durante a sua viagem. É só continuar a leitura.

Antes, aproveite também para se inscrever no grupo da Central Eu Amo Orlando no Facebook. Por lá, você fica por dentro de tudo o que rola em Orlando e não perde nenhuma novidade. É só clicar aqui!

SE PREFERIR VOCÊ PODE IR DIRETO PARA O TÍTULO QUE MAIS TE INTERESSA:

Guia Orlando para brasileiros: conheça Orlando
Orlando para além dos brinquedos
Guia Orlando para brasileiros: antes de viajar
Guia Orlando para brasileiros: Embarque e Desembarque
Guia Orlando para brasileiros: durante a viagem

Guia Orlando para brasileiros: conheça Orlando

A história de Orlando, uma pacata cidade do interior da Flórida, nos Estados Unidos, basicamente ligada à produção de laranjas, começou a mudar em 1965, quando Walt Disney comprou uma área de 125 km2 na cidade. Seis anos depois, em 1971, nascia o parque de diversões mais famoso do mundo: a Disney World, versão ampliada da californiana Disneylândia (fundada em 1955).

O primeiro centro de lazer do complexo foi batizado de Magic Kingdom e, conforme os anos se passaram, outros três parques temáticos (Epcot, Hollywood Studios e Animal Kingdom) e dois parques aquáticos (Typhoon Lagoon e Blizzard Beach) vieram fazer companhia a ele.

Guia Orlando para brasileiros
Walt Disney World attractions lifestyle shoot. April 2013. Photographer: Chris Sista

Na esteira do sucesso de Mickey e sua turma, concorrentes de alto nível abriram as portas na cidade. Um deles é a Universal, que concentra dois parques temáticos (Universal Studios e Islands of Adventure – ambos contam com famosas áreas dedicadas a Harry Potter) e o aquático Volcano Bay. Daqui alguns anos, o grupo terá um novo parque temático, chamado Epic Universe.

Outro gigante do pedaço é o SeaWorld Parks & Entertainment, com três centros de lazer na cidade (SeaWorld, Discovery Cove e Aquatica) e um na vizinha Tampa, o Busch Gardens. Também nos arredores de Orlando, em Winter Haven, fica o Legoland, com um parque temático e outro aquático.

Guia Orlando para brasileiros

Quer saber mais sobre cada parque de Orlando? Confira abaixo

Disney
Magic Kingdom | Epcot | Hollywood Studios | Animal Kingdom | parques aquáticos

Universal
Universal Studios | Islands of Adventure | Volcano Bay

SeaWorld
SeaWorld | Discovery Cove | Aquatica | Busch Gardens

Legoland

Orlando para além dos brinquedos

Para receber milhões de viajantes por ano, Orlando vai além dos brinquedos. A região conta com uma infraestrutura turística completa, que compreende hotéis, restaurantes e shoppings. A maior parte deles fica em torno de avenidas como a International Drive, a mais turística de Orlando, ou mesmo dentro dos centros de lazer.

A Disney World abriga mais de 30 resorts e uma área de compras e gastronomia chamada Disney Springs; a Universal Orlando, por sua vez, tem sete hotéis e o colorido CityWalk, com lojas e restaurantes famosos.

Guia Orlando para brasileiros

Fora dos parques, o cardápio é ainda mais variado. Uma vez em Orlando e região, dá para voar de balão, navegar por pântanos para ver crocodilos e animais, voar de helicóptero, passear em uma roda-gigante, assistir a grandes eventos esportivos, ir a museus, jogar-se nas baladas e muito mais. Isso sem contar a possibilidade de esticar o passeio a lugares como Kissimmee, Kennedy Space Center (quartel-general da NASA), Miami e até o Caribe.

Diversão não falta em torno da cidade que, geograficamente, funciona como sede do condado de Orange e se renova mais do que qualquer outro lugar do mundo. Bom para quem não conhece, ótimo para quem quer voltar. Quer saber mais sobre as opções de lazer em Orlando fora dos parques? É só clicar aqui!

Guia Orlando para brasileiros: antes de viajar

Documentos

Para entrar nos Estados Unidos, é preciso ter passaporte e visto de entrada válidos. O passaporte deve ser tirado nos postos da Polícia Federal (http://dpf.gov.br), enquanto o visto precisa ser solicitado no consulado dos Estados Unidos ou no Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto (CASV) mais próximo de sua casa. Vale a pena dar entrada nos documentos com, pelo menos, quatro meses de antecedência. Não é recomendado comprar as passagens aéreas antes do visto ser concedido.

Visto

A TOP VAT é uma empresa recomendada para quem vai tirar visto ou passaporte. Ela auxilia em todos os documentos necessários para a sua viagem aos Estados Unidos. Com uma metodologia de atendimento exclusiva, se diferencia por sua estrutura 24h, de domingo a domingo. Com ela, é possível contratar a ativação do seu passaporte ou visto americano de qualquer cidade do Brasil.

O serviço é realizado rapidamente, A contratação poderá ser feita pelo endereço eletrônico www.topvat.com.br ou em via atendimento presencial na Avenida Paulista, em São Paulo. Escolha o formato desejado e converse com a equipe de consultores disponíveis para atendimento por telefone, WhatsApp, e-mail ou pessoal.

Seguro de viagem para Orlando

O planejamento de uma viagem requer atenção máxima para a segurança de amigos e familiares que estão animados para aproveitar as férias fora do País. Muitas vezes, um importante item é esquecido no meio da escolha de roteiros e reservas de hospedagem: o seguro viagem! Prezar pela saúde e bem-estar físico de todos é também uma das grandes prioridades que todo viajante deve tomar.

Os gastos com saúde nos EUA costumam ser altos para quem não tem seguro de viagem. Portanto, antes de sair do Brasil, é muito importante que você adquira o benefício. Assim, você se diverte sem nenhuma preocupação com eventuais despesas médicas. Quer saber mais sobre o seguro saúde para Orlando? Veja aqui!

Como chegar em Orlando

Se você está planejando a sua viagem para Disney e espera ganhar umas horinhas no trajeto, saiba que muitas companhias aéreas oferecem voos diretos para Orlando, saindo de algumas cidades do Brasil. São Paulo é a região que conta com o maior número de voos com destino a Orlando, sem conexão ou paradas. Mas não é a única opção. Para saber mais sobre os voos diretos para Orlando, clique aqui.

Guia Orlando para brasileiros: Embarque e Desembarque

Bagagem despachada

Consulte na empresa aérea com a qual irá viajar os limites e valores cobrados para o despacho de bagagens. A maioria permite duas bagagens de 23 kg nos voos de ida e volta entre o Brasil e os EUA, mas as regras podem variar de acordo com cada companhia. Quem pretende fazer viagens de avião entre destinos do país deve ficar atento às condições impostas pelas companhias locais.

Bagagem de mão

É permitido levar uma bagagem de mão (como uma mochila) com até 10 kg e mais uma bolsa pessoal (com um notebook, por exemplo). Na bagagem de mão, evite levar líquidos de qualquer espécie. Em casos necessários, como remédios, é possível transportá-los em embalagens de, no máximo, 100 ml, colocadas, de preferência, em um saco transparente inferior a 20 cm × 20 cm e com vedamento (tipo zip).

Como fazer as malas para Orlando

Leve os objetos de valor na mala de mão (como câmeras, joias e dinheiro) e uma troca de roupa, que pode ser bastante útil caso a bagagem seja extraviada. Em relação às malas despachadas, evite levar muita roupa para Orlando, pois provavelmente você fará muitas compras por lá. Além disso, a atmosfera da cidade, mesmo à noite, é bastante informal. Não se esqueça de etiquetar a bagagem e colocar algo que facilite a localização.

Imigração e alfândega

Assim que desembarcar, siga até o setor Immigration & Customs (imigração e alfândega) e entre na fila. Quando chegar sua vez, responda as perguntas do funcionário ou, caso seja encaminhado, da máquina digital (com opção de menu em português), destinada a alguns passageiros que têm passaporte com chip. Caso o seu visto esteja em um passaporte vencido, provavelmente você será encaminhado para o guichê. Não se preocupe, é um procedimento padrão.

Os policiais federais costumam fazer as perguntas em inglês. Na Flórida, porém, muitos funcionários falam ao menos espanhol. Se tudo estiver correto, basta seguir em frente. No aeroporto internacional de Orlando, pegue o trenzinho para ir ao setor com as esteiras das malas e, em seguida, caminhe em direção à alfândega.

Algum funcionário ainda pode, aleatoriamente, revistar sua bagagem. A partir daí, você estará liberado. Check-in e entrada nos Estados Unidos.

O check-in de voos para os EUA deve ser feito com pelo menos três horas de antecedência. Uma vez no país, você terá de passar por postos de segurança que, em geral, exigem que tire eletrônicos da mala de mão antes de passar pelo raio-X, bem como se livre de tênis fechados e casacos. Se houver líquidos em embalagens com mais de 100 ml na mala de mão, eles serão descartados. De forma aleatória, você pode ser escolhido e revistado manualmente.

After shopping

Alfândega no Brasil

Bens adquiridos no exterior para uso pessoal, como roupas e um telefone celular, não são contabilizados na cota-limite do viajante, que é de US$ 500, nem precisam pagar imposto. Tablets, notebooks, videogames e outros eletrônicos, por sua vez, são contabilizados na cota-limite.

Na volta para o Brasil, não há necessidade de preencher formulários no voo. Caso tenha bens a declarar (se o total exceder US$ 500), vá para o setor correspondente no aeroporto e siga o procedimento local. Ande com as notas fiscais dos produtos importados que levou do Brasil para a viagem, pois elas podem ser solicitadas.

Para saber mais sobre as regras da alfândega no Brasil, leia agora a nossa matéria especial sobre o tema. É só clicar aqui!

Guia Orlando para brasileiros: durante a viagem

Guia Orlando para brasileiros

Idioma

É sempre bom falar inglês, mas, caso não domine o idioma oficial dos EUA, não se preocupe. Você não terá grandes problemas para se localizar e hospedar, comer e passear. Fora isso, há muitos brasileiros trabalhando por lá, dentro e fora dos parques.

Quanto dinheiro levar para Orlando

O dinheiro norte-americano é o dólar. As notas com que você provavelmente terá contato são as de 1, 5, 10, 20, 50 e 100 dólares. Por lá, são usadas muitas moedas, então, leve um porta-níqueis. Compre ao menos um pouco de dólares em espécie, em casas de câmbio, antes de embarcar. Além disso, vale a pena levar cartões de crédito internacionais (não se esqueça de desbloqueá-los antes da viagem).

Outra boa dica são cartões pré-pagos, que podem ser carregados no Brasil (você paga o câmbio do dia em que carrega) e funcionam como débito em todos os locais cobertos pelas respectivas redes. Com esses cartões, dá para fazer saques nos caixas ATM. Nesse caso, deve pagar uma taxa que, geralmente, é de 2,50 na moeda em que o cartão foi carregado.

Guia Orlando para brasileiros

Temperatura

Costuma fazer calor em Orlando, mas entre o início de dezembro e o fim de janeiro a temperatura cai um pouco. De outubro a maio, os termômetros marcam de 22 °C a 27 °C durante o dia, e de 16 °C a 20 °C à noite.

Entre junho e setembro, as médias são mais elevadas: de 27 °C a 32 °C de dia, e de 20 °C a 25 °C à noite. Os brasileiros não costumam ter problemas em nenhuma época do ano, mas, antes de embarcar, verifique na internet como estará o clima na cidade. Não deixe de levar protetores solares e labiais, cremes hidratantes e antialérgicos.

Fuso horário de Orlando

O fuso horário de Orlando é de duas horas a menos em relação a Brasília. A diferença muda para uma hora a menos durante o horário de verão americano (de março a novembro).

Eletricidade

Apesar de a tensão elétrica da Flórida ser de 110 volts, você vai precisar de um adaptador para conectar aparelhos brasileiros, já que os plugues usados nos EUA são diferentes. Leve um adaptador universal.

Ligações

Use chips pré-pagos para fazer ligações internacionais, pois são mais econômicos. Você também pode discar para 1-800-344-1055 e fazer ligações a cobrar para o Brasil com taxas locais (como se estivesse no Brasil). Para saber mais sobre o uso de chips em Orlando, basta clicar aqui.

Guia Orlando para brasileiros
Disney 2015 We are the Rhoads

Transporte público em Orlando

A International Drive (I-Drive) é cortada pelos I-Ride Trolleys, ônibus que funcionam todos os dias, das 8h às 22h30, com saídas a cada 20 minutos. As paradas ao longo da avenida são sinalizadas com as marcas “I-Ride Trolley”. Os parques e hotéis da Disney World são interligados por barcos, ônibus, teleféricos e monorails. Já os da Universal estão conectados aos hotéis do complexo ou por lagos, onde há barcos gratuitos, ou por ruas, nas quais circulam ônibus. O Busch Gardens oferece ônibus gratuito até o parque, que sai de vários pontos em Orlando.

Táxis ou apps

Os táxis costumam ser caros em Orlando. Uma boa dica pode ser usar aplicativos como o Uber, legalizado na Flórida. Mas lembre-se de que você precisará de um smartphone com internet para poder solicitar o serviço.

Aluguel de carro em Orlando

Mesmo com transporte público, táxis e apps, a melhor opção para o turista se locomover em Orlando, sem sombra de dúvidas, é o aluguel de carros. O serviço de locação de veículo em Orlando pode ser contratado por qualquer pessoa com mais de 21 anos, sem perder tempo nem dinheiro. Há modelos econômicos, esportivos, de luxo, SUVs e minivans.

A dica mais importante é contratar o serviço antes de partir para viagem e nunca depois. A antecedência faz você economizar bastante e, de quebra, você ainda conta com mais opções de carros disponíveis de acordo com os modelos da sua preferência. Para garantir as melhores condições para alugar carros em Orlando, é só entrar em contato já com a nossa equipe pelo e-mail loja@centraleuamoorlando.com.br

Carteira de motorista

A carteira de habilitação brasileira válida está liberada para ser usada pelo turista na Flórida, durante o tempo de permanência concedido pela Imigração para ficar nos EUA.

Combustível

A gasolina mais barata é a regular unleaded (comum). Nos EUA, não se compra combustível por litro, mas sim por galão. Cada galão corresponde a pouco menos de quatro litros. Na hora de abastecer, indique o número da bomba ao funcionário da loja de conveniência e pague em dinheiro ou cartão. Depois, pegue a mangueira correspondente ao combustível que você deseja colocar no carro, aperte um botão ou levante uma alavanca para soltá-la da bomba e abasteça normalmente.

Como dirigir em Orlando

Os automóveis nos EUA têm câmbio automático, então é preciso adaptar-se a isso. Durante a condução, há algumas regras diferentes na Flórida: nos cruzamentos sem semáforo, passa quem chega primeiro. Caso haja semáforos, você pode dobrar à direita mesmo que o sinal esteja fechado, desde que não venham carros nem pedestres. Nas rodovias, as placas indicam o sentido: N (norte), S (sul), E (leste) e W (oeste). Fique atento ao limite de velocidade. Para conferir um guia completo de como dirigir em Orlando é só clicar aqui!

Pedágios em Orlando

Caso siga de carro do aeroporto de Orlando até a região dos parques, você passará por pedágios. As cabines são identificadas como Exact Change Only, para quem tiver o dinheiro trocado, e Change and Receipts, para quem precisar de troco. Não são aceitos cartões de crédito nem moedas estrangeiras.

Ande sempre com moedas, pois alguns postos só oferecem a opção de pagar com dinheiro exato. Algumas locadoras de carros também oferecem pacotes de acesso aos pedágios rápidos, mas só vale a pena adquiri-los caso vá rodar muito pelas estradas. Caso faça a viagem de ida ou volta entre Miami e Orlando, a compra do sistema é obrigatória.

Bebidas e cigarros

A idade legal para consumir bebidas alcoólicas na Flórida é 21 anos. É comum solicitarem documentos no ato da compra mesmo para as pessoas que aparentam ser mais velhas. Os parques, shoppings, bares e restaurantes têm áreas para fumantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ROTEIRO DE PARQUES